21 novembro 2006

In Memory

Photobucket - Video and Image Hosting

Este post e essa poesia eu dedico a Nel Meirelles, grande poeta, grande amigo que partiu do plano terreno na semana passada (dia 17/11/06). Nel: saudades!

Nel plantou muitas sementes poéticas... e, cabe a nós, difundí-las e regá-las com o mesmo amor e ardor com que ele as plantou (nesse mundo cyber em que todos se encontram...)


já tive medo da morte
não da morte em si
mas do que acontece
aqui dentro do peito

o que mais incomoda
é o ser partido ir
embora sem corpo
... sem direção

perdemos a referência matéria
supomos uma nova realidade

transgredir dois corpos no espaço
e (re)tornar apenas

um

Clauky Saba

*

E aqui, deixo um (de dois poemas seus) que ele considerava bom ;o)

ofertório da saudade anunciada


esvai-se o tempo
abrindo o tampo
de tudo de tanto
que tento nas noites
escrever de fugaz
que escorre da cana
que quebra na cama
que doido se trai
que muda de uma
pra outra estação
que cobre o rosto
descobre que posto
que a vida que rouba
o rosto que morde
não fala não fala
no mudo ouvido
e todo sentido
que pode nascer
da porta aberta
que aperta o nome
do que nunca se soube
se houve ou se há
amarga a língua
de talagada
tango samba balada
a boca velada
a vela apagada
a luz que acende
sem meias verdades
sandálias descalças
vestindo saudades
nos meus olhos teus

Nel Meirelles

10 comentários:

Ricardo Mainieri disse...

Clauky :

Lembra que aquela vez que estive junto com o Sabasauers, te perguntei pelo Nel.
Pensei, não vi desta vez, na próxima estada no Rio vou vê-lo.
Infelizmente, a vida tem dessas coisas.
Fiquei sabendo domingo e continuo sentindo este vácuo...
Teu poema com a aura filosófica e profunda homenageia alguém que tinha coragem de enfrentar as palavras e dar-lhes rumo...

Beijão.

Ricardo Mainieri

Paulo Vigu disse...

" E se lembrar de mim, faça com o mesmo ardor, de uma canção feliz, uma canção de amor " {toda nossa vontade - Lobão } Clauky, pois é, ao violão lamentos e lágrimas. Fique forte aí. Riodaqui/ beijo em você/ Paulo Vigu - Mergulhe lá

Anônimo disse...

Oi, Clauky
Linda a tua homenagem.
Com certeza ele te sorriu das estrelas.
Um beijo,
Isabella Benicio

livia disse...

adorei (;

Múcio Góes disse...

Clauky, querida... triste pela perda, e pela minha total desatenção, a de não tê-lo curtido mais. Pernambucano como eu, grande Poeta Nel. Soube por Dio, e, qd postei um poema sobre morte no dia 18. Deus é um cara inteligente, e estava carente de poesia por lá. Luz ao Poeta, sempre!


UMA VIDA POR SEGUNDO

viver está por um zap,
tudo por um pisco,
por um triz, tudo bis,
basta nascer pra virar cisco.

admirável novo mundo,
uma vida por segundo.

vai que numa hora dessas,
eu saio por aí e perco o rumo,
a mão, o prumo,
vai que eu supra-sumo,
logo ali,
onde aquela esquina dobra,
morre o homem e fica a rima:
a sobra-prima da obra.


bjsss

diovvani mendonça disse...

(...) Eh, amiga, foi-se meu amigo-irmão-poeta. Abraço n´alma.

Adm.SPP disse...

Clauky:

A Sociedade dos Pássaros-Poetas agradece a oportunidade de compartilhar contigo o espaço poético e parabeniza-a pelo seu talento.

Grata por mais este belo momento poético com o nosso querido poeta Nel Meirelles.

De quem são as asas
a entorpecer o arco-íris?
- das flores que voam.

^Chris-Borboleta^
Adm.SPP
))§((

Mônica Montone disse...

Bonita sua homenagem, moça bonita!!!

beijos,

MM

Lu Cavichioli disse...

Menina Clauky, nem tenho palavras para falar sobre o acontecido!
Nós poetávamos no msn!

Saudade!

Beijo

http://namagiadomistico.blogger.com.br

Benny Franklin disse...

Clauky: Não sabia da morte de Nel. Visitaba-o e nada de resposta. Agora que sei de sua partida. Sinto muito.
Ainda o tenho em link.
Abraços,
Benny Franklin
Em tempo: seu blog é perfeito.
Vou linká-la. Posso?