16 outubro 2006

Poesia não se explica...

Photobucket - Video and Image Hosting

"Casulo aberto" (autor desconhecido)



"Vivencio meu mais novo em cio..."


*

O NOVO EM CIO

Solto um grito pra dentro.
O oco do eco acusa o vazio
latente em meu peito.

Qual um imóvel que se aluga...
Há lugar para tudo e nada
numa sala sem memória.

O cheiro do novo me comove...
É como um buquê de possibilidades
que perfuma e decora o ambiente.

Nada mais presente
do que o momento-agora
em movimento constante.

Rumo ao desconhecido
mundo fora do casulo
liberto minhas asas...

e

pulo.


Photobucket - Video and Image Hosting

diálogos de recordações empoeiradas na cristaleira da memória :


Juju Hollanda:
coração não se explica, não é?
...............bem, o meu coração não se explica!


Clauky Saba:
meu coração também se nega
.............a dar explicação de suas dores e amores...
.............Mas aceita flores!




Photobucket - Video and Image Hostingtodo avesso tem seu verso
a palavra no espelho
o reverso da moeda


o reflexo de tudo
é o meu inverso

*

20 comentários:

Bill disse...

Olaaaa moça de lindas palavrassss =]

O verso ro reverso =]

Poder voar em liberdade, sonhar com novas possibilidads =]

Adorei =]

:***

Múcio Góes disse...

beleza se explica, hein? Clauky, vc demora, mas sempre volta com bâlsamos e colírios diluídos docemente em versos...

Brigado, viu?

Beijao!

Márcia do Valle disse...

Flores para você! Bjs

Nanna disse...

Belo!

Beijos...

Leandro Jardim disse...

Você e os seus posts campeões!!!

Lúcia disse...

Realmente poesia não se explica... se transforma em música, que pode ser cantada por Caetano Veloso. Que tal???

este é o meu corpo disse...

ai as palavras, qu emaravilhas fazem:)

paulo vigu disse...

Ocos do eco,sala sem memória,buquê,o momento-agora, fora do casulo, o avesso, o inverso
marcam a força dos ritmos de Clauky. Gosto muito. Riodaqui leva 1 beijo aí - Paulo Vigu

Marilena disse...

Mocinha dos lindos e sensíveis poemas, eu vim aqui hoje para lhe trazer flores. (Adorei este poema) Beijos.

Beatriz Galvão disse...

E, de todos os ângulos, é isso: poesia!

Sempre lindo este lugar!
Parabéns!

G. Pinheiro disse...

Quanta poesia, quantas idéias... :)

Beijo

Clara disse...

Oi Clauky! Vale a pena esperar para ver tanta coisa linda aqui!
Um beijo!

Janaína Calaça disse...

O novo é para ser preenchido, adaptado. O novo é para ganhar nosso cheiro e a marca invisível de nossos pés descalços. O novo é apenas a primeira idéia, depois se torna dia a dia.

Beijos

Jana

Ricardo Mainieri disse...

Clauky :

Neste poema o novo aparece...de forma nova.
Nada daqueles clichês em replay. O novo é um "buquê de possibilidades", um "oco do eco" até o pulo final...
Com a segurança de quem sabe transitar pelas malhas da poesia.

Beijão e tudibom.

Ricardo Mainieri

carlos muzilli disse...

Clauki, na voz de Itamar Assumpção cantaria assim " Deste oco tenho medo quer dizer eco, pulo em segredo". Abraços poéticos.

c. disse...

clauky, a moça da casa bonita!

Mônica Montone disse...

Eiat menina sabida, sensível e sincera.... Gosto de ti!

beijos, flor´[ainda bem que seu coração as aceita ;o)]

MM

ps: saudaaaades.....

moacircaetano disse...

lindo!!!!!!!
viajei pelos seus sentidos...

diovvani disse...

Um buquê de possibilidades e o pulo - pura poesia. MontanhosoAbraçoDasMinas.

ESTER VARGAS disse...

Um sorriso e um abraço
Poesia linda !!!

Ester Vargas RGS