28 setembro 2006

Amanheça...

"Just dip your finger in the ocean water and it will RISE"
Photobucket - Video and Image Hosting

'Rise' image by Nicholas Giovanni Quiring (modificada por Clauky)



“O fato de uma coisa ser difícil deve ser
um motivo a mais para que seja feita.”
R.M.Rilke
(Cartas a um Jovem Poeta)

*


SOU EM MIM
O QUE NUNCA SEREI
E O QUE AGORA
EU JÁ SEI.

*


Vivemos um momento de abandonar a casca, aquela pele que pensávamos nos pertencer. É o novo que chega, com cara de sem dono, sem lenço, nem documento. É um novo ‘Sol’ nas bancas de revista. É não deixar a preguiça bater e se encher de alegria, pois existe um árduo, mas belo, caminho pela frente.


Ao contrário do que possamos imaginar, não ficaremos sem teto. Pelo contrário! Agora somos feto protegido pela placenta da mãe natureza. Bicho-do-mato que sai do casulo de encontro ao céu, azul-infinito.


Esse é o momento de transformar o mundo de fora a partir do mundo de dentro. Vamos juntos! Porque somos todos um.

*

UM POEMA SÓ É
SENDO EM SI
O MESMO EM MIM

*

"Posso saber além da fatalidade do eu?"
Artur da Távola

13 comentários:

Nanna disse...

É. Eu começo a descobrir...

Beijinhos...

Múcio Góes disse...

"Ou-tubro ou nada", o título, nasceu antes do poema rsrs. Às vezes é assim, né?

Somos um, somando tantos! Vamos em frente, firme e rente!

beijos!

pedro pan disse...

, é em ti. agora. ou depois, enfim...
|beijos meus|

Clara disse...

"anunciando a vida fora do casulo" - borboleta (livre, sem lenço, sem documento)

Tentei comentar ontem, mas não deu... Vi que é de leão... Eita que esses signos do fogo são de fato "fogo"! Rsrs
Do Jam, não vai acha muita coisa mesmo, ele tinha um flog, mas tirou do ar, não tive mais o prazer de ler nada dele, apesar de ainda manter contato pelo msn. Ele é ótimo, uma pessoa maravilhosa, inteligente, sensivel e engraçadíssimo. Iria adorar você, com certeza.
Tenho um texto dele no blog do msn, se quiser ler entra aqui (http://anaclarapie.spaces.live.com/?_c11_BlogPart_blogpart=blogview&_c=BlogPart&partqs=cat%3dOutros). Tem que caçar um cadinho, mas está nessa página, quase no fim.
Trouxe o restante da poesia:
No sé lo que puedo
quando me dano a poetar
palavras com forma de ar.

Starto o sim e o medo
quando me dopo a distar
palavras com jeito de mar.

E digo niet e digo da
porque da terra brota
o fogo, a água e o pensar.

Favorito ritos
e deleto letais
silêncios e gritos.

Quer ser feliz?
Não pense.
Só porque a felicidade mora onde o pensamento não cabe.

Lá, não há fogo nem grito.
Lá, não há água nem rito.
Lá, as palavras têm forma de ar...

Feche a luz.
Apague a porta.
Inês é morta

e o que me conforta
é a certeza torta
que me conduz

aos beijos teus que ainda trago em minha boca.
I’m sure. Eu sou very canalha and you’re louca.
Sont les mots qui vont tres bien ensemble.
See you later.

(Jamarri Nogueira)

Ah, obrigada por me linkar!
Só mais uma coisa: sua foto é linda, parece uma boneca de porcelana... rrss
Xerunda!

paulo vigu disse...

É ... "o sol nas bancas de revista, me enche de alegria e preguiça" é não mais que uma canção. O século da alma pede muito mais. Sendo poema, que o verso seja em si e o mesmo em nós.Riodaqui/Paulo Vigu

Silvia Paiva disse...

Clauky querida

Passei para ler e deliciar com sua arte...
Beijao

Mikhael disse...

Olá Clauky,

escrevo um blog, e gostaria de convidá-la a visitá-lo: www.pintandopalavras.blogspot.com

Neto Mendanha disse...

HOJE: Queria eu, ter a coragem de abandonar a casca. Medo tenho. Razão para isso também.

Mas...
"Ao contrário do que possamos imaginar, não ficaremos sem teto. Pelo contrário! Agora somos feto protegido pela placenta da mãe natureza. Bicho-do-mato que sai do casulo de encontro ao céu, azul-infinito."
Então... lá vamos nós. Pelo estímulo!


Bjo

diovvani disse...

Isso menina! Vamos tirar a casca e sa-bo-re-AR, o azedo ou doce de nós. Você agora, virou poeta também das imagens? Gostei muito da gravura. MOntanhosoAbraço.

Clara disse...

Tens a mania de deixar-nos com gostinho de QUERO MAIS hein dona moça Clauky?
Bjos!

MadalenaBarranco disse...

Clauky, por acaso te achei através do blog do Mainieri e continuei encantando-me com tua prosa & poesia, que ao fim, ou melhor, sem fim, são versos de alma corrente pelas estrofes da Via Láctea. Parabéns pelo blog! Beijos.

Ora Anjo...Ora Lilith disse...

Clau...a saudade do teu riso, teu olhar tão lindo e dos teus (in) versos me trouxe aqui ...beijos poéticos

Ricardo Mainieri disse...

Clauky :

Este texto tem interferências(vc. lembra o Caetano, de Alegria, Alegria)tem metalinguagem(ao clicar a palavra sol, o link do filme aparece), tem o teu traço urbano-andróide-pós-tudo...

Beleza.

Beijão e tudibom.

Ricardo Mainieri