09 junho 2006



O novo surge
da vertigem
dos escombros
por baixo da
foligem em
meus ombros
nus

Ck.

5 comentários:

Beatriz Galvão disse...

E a espiral se fez.
Escombros.
Abaixo/ em torno:
Novo-
-poema!

Marilena disse...

muito bom isto: "o novo surge da verigem dos escombros" ... bj e boa semana.

Ana Maria Costa disse...

passando aqui para conferir os novos posts...adorei!
Um beijo!
Ana(Clari)

Anônimo disse...

tudo é som, tudo é arte
e tudo se esvai
- a poesia não
essa nunca parte.


meu beijo, Clauky-amiga

Nel Meirelles

Bill disse...

Nasce das cinzas, das poucas lembranças de um dia bom... Nascem do desejo.

=]

:******