15 junho 2009

pashmina






pashmina

desfiando memórias
do novelo do tempo,
meus olhos em nuvens
choram certezas de outrora.

nem tudo é tanto
que não possa ser mudado.

amazona das ventanias
cavalgo o tempo:
essa serpente gigante
que se enrosca na gente

faça chuva ou faça sol,
o tempo rói a cara do instante
que distante, transforma
dor em aprendizado.

e quando é agonia quem vem
poesia é o melhor remédio que tem



clauky boom
(in process)

4 comentários:

aliciamentos&alucinações disse...

a poesia é o melhor vício
e também a grande cura
pro que revira visceras
e pro que causa amargura...

(sheyladecastilhoº

Lucky Luciano disse...

vou beber você
até esquecer que já tinha bebido
vou sorver você
até lembrar que já tinha esquecido...

Danielle Costa disse...

Profundamente inspirante...a sua poesia. tão altiva q me faz refletir..que a vida não se faz só de fatos, mas de sensibilidade com as palavras... haviaa lido a tempos o seu blog...fiz até uma pesquisa a respeito..vim retomar o contato.
abraços poéticos!

Danielle Costa disse...

Profundamente inspirante...a sua poesia. tão altiva q me faz refletir..que a vida não se faz só de fatos, mas de sensibilidade com as palavras... haviaa lido a tempos o seu blog...fiz até uma pesquisa a respeito..vim retomar o contato.
abraços poéticos!