01 agosto 2006

Existo porque Insisto

Photobucket - Video and Image Hosting

Desculpem-me a ausência... Senti falta também. Sem mais delongas:

"A própria espera reside na esperança de esperar pouco"

*

existo porque insisto
e me desinvento
ao cair da tarde

sustento minha tese
em desventania...
descanso sincronia

se entre cronos e caos
existe um acordo
já não era sem tempo

filha da noite
me visto de céu
e me cubro de estrelas
...
Eu poexisto.


*

Desde que me entendo por gente
se é que isso a gente entende

tenho poesia tatuada na pele
dessas coisas que

nem o tempo explica
nem a vida expele

*


testemunha oculta

sigo meus passos
vou pela sombra
logo atrás de mim

*

eu olho daqui
passional
ele olha Dalí
surreal

*

como nuvens
como criança
algodão-doce

(haikai em parceria com Pedro Poncioni
*


E, em homenagem ao Centenário de Mário Quintana:


Ah! Quintana,
quem dera fosse eu
a tua menina dos olhos,
os mesmos olhos com que tu
me lês.

Prematuro Príncipe dos Poetas,
das coisas simples.
Tão antigo e tão novo
como bem o dizes.

Tua idade?
Uma só
:
a eternidade.



“A verdade da poesia
não é a que se comprova,
é a que se comove”.

Ferreira Gullar

15 comentários:

Ricardo Mainieri disse...

Clauky :

Teu livro seguiu viagem, ontem.
O sarau inspirou-me.
Visite-me em meu blog e veja a poesia que ele me trouxe...

Beijão.

Ricardo Mainieri

ga disse...

Clauky, você foi certeira em sua homenagem ao Quintana. Realmente a idade dele, é a eternidade. Pois é, tanto atravancaram o caminho dele, que ele tai: "passarinho" afinado solfejando poesia da boa em nós. Abraço das Minas gerais!

diovvani disse...

Clauky, comentário anterior - Diovvani.

Leandro Jardim disse...

Caramba, você POEXISTE mesmo!!!

Muito lindo tudo, de verdade!!!

bjs e inté sexta!

Carolina salcides disse...

"existo porque insisto
e me desinvento
ao cair da tarde"...

Gostei dessa parte... ando assim ultimamente...bjs minha querida, Ká Butterfly

Neto Mendanha disse...

E, pra quem ainda duvida, que tudo depende do local do ponto de vista.

"eu olho daqui
passional
ele olha Dalí
surreal"

Está aí... muito mais abrangente do que se parece.


Bjo

pedro pan disse...

, poesia tatuada em a pele, em a alma, em a aura...

|beijos meus|

Clarice disse...

Quintana deve estar se deleitando com um cigarro imaginário entre os dedos de anjo. Deve ter passado por ti dormida, para não assombrar-te, delicadamente roçado suas asas por tuas faces.
Poeta linda tu
Beijos

Élcio disse...

Oi Clauky!
Posso entao interpretar seu primeiro poema como sendo vc neta do caos (já q a noite dele é filha, razao essa q a faz feliz pelo acordo entre cronos e ele, caos?

Mto bom mesmo.

Sabe, gosto de seu jeito de escrever e de postar. Tenho algumas coisas nesse sentido, mas, qdo vou postar o texto fica engessado e n consigo mostra-lo aqui como foi criado, brincando com as palavras. Acho q vou ter q sair do blogger!
É isso.

Bjs e bom fds.

Élcio disse...

É q eu adoro o Calvin e viajei com ele qdo rabiscava essas letras....rss. Juntos levamos o bom e velho Haroldo...rss

Clauky, vou adicionar seu e-mail agora como n sei se lhe enviei o meu, ai vai elcio_nordico@hotmail.com p o caso de vc ter msn tbem tenho no gmail elcio.nordico@gmail.com

É isso.
Bj

Mônica Montone disse...

Gosto dos seus versos, Clauk!

Espero que esteja tudo bem! Voltei, mas tô no meio de uma mudança... Vamos nos falando!!

beijocas

MM

carlos muzilli disse...

Claudia, sigo o teu poema aroma, vou pela brisa, colibri (inspirado em Clauky). Abraços poéticos.

paulo vigu disse...

Poexista! Obrigado por sua poesia nos suprir.Saudação riodaqui - abraço poético - Paulo Vigu

diovvani disse...

Menina, você está mais preguiçosa do que eu para fazer postagens. Só não superou, por enquanto, nosso amigo Nel Meirelles. Abraço, Diovvani.

Anônimo disse...

interessante o seu poema,agora só quero saberse vc consegue fazer um com apenas o meu apelido poara tres dias,apelido:nara