05 maio 2006

Às formigas-poema de Nel Meirelles



Havia aveia na cozinha
Nel e suas formigas
vermelhas
mantinham a linha:
só comiam açúcar
e viravam poema

Clauky Saba
(dedicando sua inspiração às formigas vermelhas
Que elas virem poema...)

4 comentários:

Anônimo disse...

Assim você me deixa todo bobo.:) Obrigado mesmo, Claudia. Puxa!!! Tô de queixo caído.;)

beijo grande!

Nel Meirelles

Francisco Sobreira disse...

Cláudia: Vindo agradecer a sua visita ao Luzes da Cidade, leio atentamente os seus textos e saio daqui com uma boa impressão. O poema sobre esse generoso e talentoso Nel Meireles, além da qualidade poética, tem um sutil humor. E na prosa vc demonstra também talento e lucidez, ao tratar do cotidiano, a vida atual, a mediocridade. Um beijo e um bom fim de semana.

Mônica Montone disse...

Comer açúcar e virar poema? Eis uma boa receita!!!!

Beijos e boa semana,

MM

melodiabr@yahoo.com.br disse...

Chupei a foto da formiga ao pôr do sol para fins próprios. Queria dar o crédito ao fotógrafo!
Quem é?
Obrigado pela atenção!Evandro