31 janeiro 2006

Deveras Sincera

Mal digo mentiras
bem digo a verdade...
Deveras sincera,
sou eu bela, eu fera
eu caco, eu vidro,
eu pedra, eu ferida.

Pulo pela janela
a palavra proferida
que encontra sob medida
um espaço entrelinhas.

A lingua solta salta
pra fora e devora
metade do vocabulário
de uma só vez.

Palavreia de boca cheia
uma página e meia
e regurgeteia...
um poema no final

Clauky Saba

Um comentário:

Anônimo disse...

I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
»